Libelinha Design® a 100%

No estágio curricular do curso de Modelista de Vestuário havia um grande interesse em ficar comigo, conversou-se e havia a possibilidade do estágio profissional onde o estado ajudaria com 80% do ordenado… Mas estas coisas das leis ás vezes são um pouco complicadas. Eu para poder usufruir do estágio profissional não poderia trabalhar entretanto mas no entanto era preciso mão de obra para ajudar nos fatos de Carnaval dos grupos que iriam desfilar, que desde Outubro se trabalhavam. Ficou então combinado que ficaria a trabalhar como “voluntária renumerada” (termo usado pelos formadores e orientadores do curso) enquanto esperava pelo processo demorado do pedido de estágio profissional. Não imaginam a minha alegria de ficar a trabalhar na área em que investi um ano e meio da minha vida e na área que gosto tanto, apesar de alguma frustração em não conseguir dedicar-me à Libelinha Design® como gostaria. Pensei sempre que iria conseguir conciliar as duas coisas!

Mas o Carnaval acabou e eu sem pré-aviso fui dispensada!!! Coloquei várias questões: porque não me avisou com antecedência? Sei que não o fez porque teve receio que eu abandonasse quando era mais preciso para terminar os fatos de Carnaval mas a resposta foi outra… Disse-me que no meio da confusão não houve oportunidade. Perguntei também como seria em relação ao estágio que tinha sido pedido, respondeu-me que tinha sido anulado. Ora bem, não houve tempo para me avisar com antecedência mas houve tempo para anular um pedido de estágio, um processo demorado (pelo que me disseram é um processo que demora 3 meses)?!?  Juro que já ouvi mentiras melhores! Para mim, bastava dizer que o Carnaval tinha terminado e que não ia precisar de mais mão de obra que eu aceitava melhor do que estas tretas todas.

Pensei muito antes de partilhar esta situação… Mas as mentiras ficaram-me atravessadas e eu tenho que partilhar! Fui trabalhar doente, fiquei depois da hora, virei a minha vida ao contrario para agarrar aquilo que me parecia uma boa oportunidade e de repente tiram-me o tapete dos pés sem pré-aviso.

Pronto! Adiante! Há que tirar a parte positiva disto tudo. Além de aperfeiçoar o meu trabalho (fazer e transformar moldes) aprendi também a enfiar de raiz as máquinas mais complicadas, como a máquina do rolinho, a máquina do corte e cose, a máquina de recobrimento (faz bainhas em tecidos de malha) e a máquina de casear. Tanto que quando alguma linha partia, lá ia eu armada em mecânica.


Quando decidi investir no curso de Modelista de Vestuário o intuito era adicionar mais uma área à Libelinha Design®, por isso aqui estou eu com mais uma experiência de aprendizagem para fortalecer aquilo que por tanto lutei e continuo a lutar, a minha própria marca de peças de vestuário e acessórios criados por mim. Considero esta experiência uma ponte de passagem para seguir com mais força ainda!

Aguardem que em breve haverá novidades.

Anúncios